Sesapi confirma 4º caso de sarampo e Piauí agrava situação de surto ativo

17/09/2019 às 11h01
265
(oto: Divulgação / Ministério da Saúde)

A Secretaria Estadual de Saúde informou na manhã desta terça-feira (17) que já são quatro casos confirmados de sarampo no estado. Três são importados e o último confirmado hoje é na cidade de Alagoinha do Piauí (a 379 km de Teresina).

Segundo a Saúde, a paciente de Alagoinha teve contato com o de Campo Grande do Piauí – um bebê de um ano que foi diagnosticado com a doença -. A Secretaria informou que está investigando. No total, são 16 casos suspeitos no Piauí.

O terceiro caso importado foi de uma mulher de 21 anos, que mora em São Paulo, mas é natural de Lagoa do São Francisco (a 193 km de Teresina).

O estado já é considerado pelo Ministério da Saúde como um dos 16 em surto ativo de sarampo. A mulher veio passar férias no Piauí e sentiu os sintomas.

Além dela, mais dois casos importados já haviam sido confirmados: um homem de 42 anos, que viajou para São Paulo, onde contraiu a doença, que esteve em Valença e um bebê de um ano que também esteve no estado paulista e voltou com os sintomas.

Outras pessoas também estão sendo monitoradas pela Sesapi. As cidades que apresentaram casos de suspeitos de sarampo foram: Parnaíba, Picos, Luís Correia, Teresina, Campo Grande, Floriano e Demerval Lobão.

Vacinação

Para que a doença não se propague a Secretaria de Estado da Saúde faz um apelo à população, para que procure o posto de saúde mais perto de casa e tome a vacina.

“A recomendação é que crianças a partir de 6 meses a 11 meses e 29 dias, tomem a vacina. A indicação é fazer a administração da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para esse público. No caso dos bebês, a dose da vacina administrada nestes casos não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança”, lembra a coordenadora de Epidemiologia da Sesapi, Amélia Costa.

Pessoas com até 29 anos podem tomar a versão tríplice viral (que protege ainda contra caxumba e rubéola) nos postos da rede pública de saúde de todo o país em duas doses, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Dos 30 aos 49 anos, ela é aplicada em uma dose, exceto para profissionais de saúde, que devem receber as picadas duas vezes.

Transmissão

O sarampo é uma doença que passa com facilidade de uma pessoa para outra por meio da fala, tosse e espirro.

Prevenção

A vacina é a única forma de prevenção da doença e está disponível na vacinação de rotina nas unidades de saúde.

Sintomas

Os principais sintomas do sarampo são mal-estar geral, febre, tosse e coriza. A doença também provoca conjuntivite e se caracteriza por apresentar manchas vermelhas que aparecem no rosto e se espalham por todo o corpo.


*Cidadeverde



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.