Mulher é encontrada morta em matagal em Batalha; marido confessa crime

Corpo foi encontrado em um matagal, no povoado Bela Vista, zona rural de Batalha, nas proximidades da Ponte do Rio Longá, já na entrada da cidade de Esperantina.

27/10/2018 às 13h03
6258

Uma mulher identificada como Erinalda Gomes da Silva, de 47 anos, foi encontrada morta, com sinais de espancamento, na manhã deste sábado (27/10), em um matagal, no povoado Bela Vista, zona rural de Batalha, nas proximidades da Ponte do Rio Longá, já na entrada da cidade de Esperantina.

Confira no vídeo!

De acordo com informações prestadas pela Polícia Militar ao RevistaAZ.com.br, a mulher teria sido encontrada pelo próprio marido, identificado como Gonçalo Sousa do Nascimento, que estava no local do crime. Ele negou para a polícia que tivesse cometido o feminicídio, mas afirmou que cedo da manhã, eles tiveram um briga. Após a declaração, o suspeito levado para a delegacia do município de Batalha para prestar esclarecimentos.

Vítima do feminicídio

Segundo relato de pessoas que conheciam o casal é de que eles viviam brigando e residiam na localidade Ladaínha, em Batalha, no entanto, por causa das brigas, a vítima estava residindo com os pais, no bairro Nova Esperança, na cidade de Esperantina.

O IML foi acionado para a remoção do corpo que ainda se encontra no local.

Momento em que o marido da vítima é preso, por suspeita de ter comedido o feminicídio
ATUALIZADO ÀS 17h15

O corpo de Erinalda Gomes da Silva foi removido por volta das 17hs pelo IML. Uma equipe da Polícia Técnico-Científica esteve no local fazendo a perícia do corpo.

MARIDO CONFESSA CRIME
Delegado Dennis Sampaio acompanha o procedimento da Polícia Técnico-Científica e do IML

O delegado Dennis Sampaio também acompanhou o procedimento. Durante entrevista ao RevistaAZ, o delegado disse que o suspeito confessou à um primo que tinha assassinado a companheira. “Populares viram eles dois discutindo pelo centro da cidade nas primeiras horas da manhã. Durante a briga, ele chegou a agredi-la e alguns chegaram a intervir, mas o acusado disse que estava sob efeito de drogas e aí não comunicaram à polícia.

O delegado disse que o primo dele ficou na dúvida se realmente o fato tinha acontecido. Então, ele foi até o local e constatou que o corpo estava lá e Gonçalo em flagrante”, contou.

Polícia Técnico-Científica faz a perícia no corpo


Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.