Governo Bolsonaro corta mais 400 mil beneficiários do auxílio emergencial

Por: Da Redação
Publicado em 19/11/2020 às 07h41
1130
(Foto: HUGO BARRETO/METRÓPOLES)

Em meio à crise da pandemia do novo coronavírus, o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cortou mais 400 mil beneficiários do Bolsa Família do pagamento da extensão do auxílio emergencial – agora no valor de R$ 300 a cota única.

De acordo com dados do Ministério da Cidadania e da Caixa Econômica Federal analisados pelo Metrópoles, cerca de 16,3 milhões de beneficiários do programa assistencial foram aprovados, em setembro, para receber o auxílio extensão.

Na época, o governo já havia promovido um corte de 2,9 milhões de beneficiários, em meio às novas regras publicadas sobre o auxílio residual. A contar com trabalhadores em geral que não recebem o Bolsa Família, essa cifra sobe para 5,7 milhões.

Isso aconteceu porque Bolsonaro, ao estender o pagamento do auxílio até o fim do ano, restringiu as regras do programa. Agora, a concessão dos R$ 300 leva em conta, por exemplo, a declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física de 2019, não mais de 2018.

Em nota divulgada à imprensa no final da tarde desta quarta-feira (18/11), contudo, o Ministério da Cidadania informou que 15,9 milhões de beneficiários do Bolsa Família receberiam a terceira parcela da extensão do auxílio emergencial, baixa de 2,5%.

Dessa maneira, esse corte de 400 mil brasileiros foi promovido ao longo dos últimos 45 dias. O número pode ser maior, no entanto, uma vez que o dado não inclui trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados que não recebem o Bolsa Família.

Em agosto, a Controladoria-Geral da União (CGU), por exemplo, identificou a existência de pagamentos a 680,5 mil agentes públicos – servidores federal, estadual e municipal – que foram incluídos indevidamente como beneficiários do auxílio emergencial.

Além disso, o Ministério da Cidadania realiza mensalmente uma atualização da base de dados de beneficiários, para averiguar quem se encaixa nos critérios de elegibilidade previstos na Medida Provisória (MP) 1.000/2020 (auxílio extensão).

Contestação
Beneficiários do programa Bolsa Família que foram cortados do pagamento da extensão do auxílio emergencial, agora no valor de R$ 300, poderão contestar a negativa do governo a partir do próximo domingo (22/11).

A informação foi divulgada pelo Ministério da Cidadania no último dia 2 de novembro, em comunicado divulgado no site da pasta. A solicitação deve ser feita por meio do site da Dataprev pelo próprio beneficiário.


Fonte: Metrópoles



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.