Flamengo-PI joga bem e empata em pleno Albertão em Teresina pela Copa do Brasil

Por: Kléber Oliveira
Publicado em 11/04/2013 às 00h20
5

Quem foi ao estádio Albertão, em Teresina, para ver Neymar, durante duelo entre Flamengo-PI e Santos, pela primeira rodada da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, acabou assistindo a uma grande atuação de Édson Di, ex-atacante corintiano. O astro santista monopolizou as atenções da torcida e até jogou bem, acertando duas belas assistências no primeiro tempo. Mas o jogador do Flamengo-PI foi mais decisivo, marcou dois gols, arrancou um empate por 2 a 2 com o time alvinegro e forçou o segundo jogo, quarta-feira que vem, na Vila Belmiro.

Flamengo-PI joga bem e empata em pleno Albertão em Teresina pela Copa do Brasil

Nos 45 minutos iniciais, o Santos teve o domínio das ações e não demorou a abrir 2 a 0 com gols de Giva e Montillo. Em duas bolas paradas de Édson, no entanto, o Flamengo chegou ao empate.

Neymar garçom; Flamengo esperançoso

Mais festejado santista desde o desembarque da equipe, na madrugada da última terça-feira, Neymar conheceu dessa vez as vaias da torcida de Teresina: uma marcação implacável. Era só o atacante errar uma jogada, deixar a bola escapar ou simplesmente se dirigir a linha de fundo para uma cobrança de escanteio para o público não poupar vaias ao camisa 11.
Neymar, de fato, encontrou dificuldades no início do jogo para partir em direção à área. Com o Flamengo fechado, o Santos teve, nos primeiros minutos, o arremate de fora da área como alternativa. Aos 10 e 13 minutos, foi o que tentaram Alan Santos e Rafael Galhardo, respectivamente. Nada, no entanto, que fosse suficiente para furar o bloqueio rubro-negro. Foi então que o astro do Peixe resolveu tomar o jogo para si, colocando o time em vantagem com duas assistências perfeitas.

A primeira, aos 26 minutos: um passe de calcanhar para Giva. O camisa 9 recebeu com liberdade, tirou o goleiro Robson da jogada e abriu o placar. Quatro minutos depois, nova bola nos pés de Neymar, agora pela ponta esquerda. Dessa vez, o atacante acertou um belo cruzamento para Montillo, que escorou de cabeça para fazer o segundo.
O Santos adminstrava o placar com alguma tranquilidade. O Flamengo, tímido, não conseguia trocar passes pelo meio. Quando resolveu arriscar o jogo pelas pontas, o time da casa surpreendeu. Aos 32, Lúcio Bala foi lançado na direita, invadiu a área e foi caçado por Rafael, que passou a perna no atacante cometendo pênalti. Édson Di bateu forte, no alto, em diminuiu.

Peixe para, e Flamengo surpreende

Quem pensou que o gol de Édson Di no primeiro tempo foi só fogo de palha se enganou. A equipe rubro-negra voltou para o segundo tempo empolgada e assumiu o controle do jogo. Descoordenado, dependendo apenas dos lampejos de Neymar, o Santos parecia desligado, dando campo e bola para o adversário atacar.

Aos nove minutos, Édson Di fez o Albertão explodir em cobrança de falta certeira. O empate fez o Fla e sua torcida se empolgar. O time trocava passes, envolvia o Santos. Das arquibancadas, os gritos de “mais um, mais um”.

O Santos tentou sair de trás e buscou abafar, mas de qualquer jeito, sem uma troca de passes precisa. Era bola em Neymar e pronto. Sem espaços, o craque santista sofria. As jogadas individuais do camisa 11 eram interrompidas por faltas. Aos 31, Cícero chegou a marcar, mas o árbitro anulou porque Neymar, antes de dar o passe final, ajeitou a bola com a mão. Aos 42 minutos, Laércio, que já tinha o cartão amarelo, bateu no atacante santista e foi expulso. Na cobrança de Montillo, Neymar balançou a rede, mas em posição de impedimento. Mais um gol santista anulado.
Mesmo com um a mais, o time da Vila Belmiro não conseguiu ir às redes. Extenuado, o bravo Flamengo tentava, a todo custo, frear o jogo para segurar o empate. Foi premiado. Agora, vai conhecer a Vila Belmiro com a esperança de ir mais longe. Ao Peixe, resta melhorar. E muito.

Com informações do GE


Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.