Em reunião, deputados do MDB voltam a defender nome de Themístocles para vice

MDB não abre mão de indicar o deputado Themistocles Filho para o cargo.

13/06/2018 às 10h34
385
(Foto: Divulgação)

Um dia após os prefeitos do Progressistas se reunirem em apoio a vice-governadora Margarete Coelho (PP), os deputados do MDB voltaram a defender a vaga de vice para o partido. A legenda não abre mão de indicar o deputado Themistocles Filho para o cargo.

O presidente da sigla no Piauí, deputado Marcelo Castro, lembra que a eleição de 2018 é diferente do pleito de 2014 e disse que agora é a vez do MDB. “É uma manifestação legítima. Todos os partidos têm direito de buscar aquilo que julgar melhor para o seu partido. Nós defendemos desde o primeiro dia que a eleição de 2018 é completamente diferente da eleição de 2014. Naquela oportunidade tínhamos poucos partidos ao lado de Wellington Dias. Não cabia a um partido ter mais de uma vaga. Agora somos muitos partidos e temos quatro vagas de disputa. Cada partido deve indicar apenas uma vaga. Isso não é contra Margarete é contra ninguém. É lógica política. Se cada um partido indicar, terá o cerca de 10 partidos sem chapa majoritária. É muito difícil um partido só indicar mais de uma vaga”, afirmou.

O emedebista lembra que o partido é um dos maiores do Estado.

“Recebemos uma comunicação do diretório Nacional informando que temos o prazo até o dia 31 de agosto para renovar todos os diretórios municipais. A reunião que fazemos hoje é ordinariamente as segundas, mas tem essa finalidade de chamar todos os diretórios e membros para chamar as bases fazer as renovações. Os maiores partidos da base aliada são MDB, PT PR e Progressistas. O PT está indicando o governador. O Progressistas indicando o senador. Agora é a vez do MDB. Agora é a vez de indicar a vaga de vice”, afirmou.

Marcelo diz que o almoço dos Progressistas foi uma demonstração de forças.
“O Progressistas fez uma demonstração de força do seu partido. Se observar bem vai observar que a totalidade dos prefeitos eram do Progressistas. Não vamos entrar nesse mérito. Vamos defender que cada partido tenha apenas uma indicação. A balança vai ficar muito desequilibrada se de um único partido indicar duas vagas”, destacou.

No MDB, a possibilidade de Themístocles ser candidato ao Senado é descartada. “Nada disso merece consideração. Temos que tratar desse assunto oficialmente. Tivemos reunião com Wellington Dias e defendemos chapa proporcional e a vaga de vice para Themístocles. Estamos esperando que o governador converse com os demais e depois chame o MDB. Vamos negociar. O MDB é o mais fiel e amigo durante toda a jornada. Em qualquer circunstância ele dará uma resposta ao MDB”, declarou.

Marcelo evita falar na possibilidade do partido sair da base, mas não descarta a possibilidade. “Não vamos antecipar. Se estamos na expectativa não vamos discutir outras alternativas. O governador tem o tempo dele. Se dependesse do MDB essa posição já teria sido tomada. Quando mais cedo for tomada uma decisão melhor para todos”, disse.

(Lídia Brito/CidadeVerde)



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.