Em 2020, mais de 6 mil contracheques de servidores superaram teto salarial

Por: Da Redação
Publicado em 25/09/2020 às 10h34
628
(Foto: DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES)

No início de setembro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu publicamente o aumento do teto salarial do funcionalismo público, que, hoje, pela lei, é de R$ 39,2 mil, o mesmo valor recebido pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, apesar de a Constituição prever um salário máximo, os auxílios, as verbas indenizatórias e vantagens eventuais pagas a alguns servidores – os famosos penduricalhos – engordam os contracheques e o valor limite é deixado para trás.

Levantamento do (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, mostra que de janeiro a junho deste ano – balanço mais atualizado do Portal da Transparência – 6.020 remunerações líquidas pagas pelo governo federal ultrapassaram o teto. Isso significa que, em média, 1.003 servidores receberam por mês mais do que um ministro.

Em junho, por exemplo, 312 servidores viram pingar na conta montante superior a R$ 39,2 mil. Deles, 59 ultrapassaram os R$ 50 mil. Todos, no entanto, tiveram redução do abate-teto sobre a remuneração bruta, mas receberam ou parte da gratificação natalina, o equivalente ao 13º, ou gratificações eventuais. Em alguns casos, os dois adicionais foram acrescentados ao valor inicial.


*Com informações do Metropoles



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.