Diesel sobe até 14,4% com alta do câmbio e do preço internacional

Novos valores são resultantes da subtração de R$ 0,30 no litro dos preços de referência, medida adotada para acabar com a greve dos caminhoneiros em maio.

31/08/2018 às 09h11
330
O valor de comercialização do diesel voltou aos patamares de antes da paralisação (Foto: William Whitehurst/Corbis)

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicou no final da noite da quinta-feira, 30, os novos preços de referência para comercialização do óleo diesel, que passou a ser subsidiado pelo governo após a greve dos caminhoneiros motivada pela alta do combustível.

Impulsionados pela alta do dólar e pelo preço internacional do diesel, o valor de comercialização voltou aos patamares de antes da paralisação, quando custava 2,3716 reais. Em maio, a Petrobras reduziu o valor para 2,3351 reais para ajudar a acabar com o conflito.

Os novos preços registram altas de até 14,4%, sendo o mais alto o comercializado na região Centro-Oeste, 2,4094 reais o litro. Os custos no Sudeste subiram 10,5%, para 2,3277 reais. No Nordeste, foi para 2,2592 reais, alta de 12,5%; no Sul, atingiu 2,3143 reais, elevação de 13,1%; e na região Norte avançou para 2,228 reais, o litro, aumento de 13,2%.

Segundo a ANP, os novos valores são resultantes da subtração de 30 centavos no litro dos preços de referência, como determinado pelo programa de subvenção de acordo com Medida Provisória 838/2018.

A agência explica que os novos valores refletem os aumentos dos preços internacionais do diesel e do câmbio no último mês.

*Com Estadão Conteúdo



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.