Delegacia registra mais de 2 mil crimes contra idosos somente este ano no Piauí

Por: Da Redação
Publicado em 09/10/2019 às 07h36
617
Delegada Daniela Barros detalha casos mais frequentes – Foto: Assis Fernandes/O Dia

Vulneráveis na sociedade, os idosos são alvos frequentes de crimes. Somente este ano, a Delegacia de Segurança e Proteção ao Idoso já registrou mais de 2.000 ocorrências contra esta parcela da população. Do total de registros, cerca de 600 crimes são patrimoniais e as denúncias vão desde o ambiente doméstico a agressões no trânsito no estado do Piauí.

“Os idosos sofrem tanto ameaça quanto agressão física. Por exemplo, em discussões para assegurar uma prioridade, é gerada uma confusão. Pela sua fragilidade diante do agressor, que não se contenta só em ter uma discussão e tem que empurrar o idoso, derrubar no chão, chutá-lo. É de uma falta de humanidade terrível, porque você já sabe que aquela pessoa tem uma vulnerabilidade até biológica”, conta a delegada Daniela Barros.

(Foto: Agência Brasil/Divulgação)

Além disso, existe a situação de abandono, negligência e maus tratos. Bem como os casos de empréstimos, em que o idoso não sabe como agir. Segundo a delegada Daniela Barros, o ideal é que, em caso de golpe, o idoso procure o Poder Judiciário e as instituições financeiras.

“Orientamos que como se trata de um bloqueio de pagamento, o idoso busque o Judiciário para, de forma concomitante à delegacia, suspender o pagamento. Notificamos as instituições financeiras para diminuir esse tipo de conduta, e já diminuiu muito. Então, eu aponto isso como a resolutividade do conflito do idoso”, esclarece Daniela Barros.

Crimes mais frequentes

Os crimes mais frequentes cometidos contra idosos são os patrimoniais, que inclui estelionato, fraude, desvio de proventos e empréstimo consignado. Em seguida, vêm os casos relacionados à integridade física e psicológica do idoso, os delitos e ameaça de lesão corporal, que são, na maioria das vezes, cometidos no âmbito doméstico.

Perfil

Daniela Barros alerta que a maioria dos agressores é do sexo masculino, principalmente dependentes químicos. No ambiente familiar, o crime é cometido por filhos e netos.

“Digamos que dos casos de violência cometidos no âmbito doméstico, acredito que quase 90% da totalidade são praticados por filhos e netos dependentes químicos; 5% seria com relação ao cartão, ao problema familiar de dinheiro, de herança”, conclui Daniela Barros.


*Com informações do Portal Odia



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.