Adapi confirma 16 focos de peste suína e mais de 3 mil animais são sacrificados

Por: Da Redação
Publicado em 30/07/2019 às 17h02
1113

O Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi), informa que estão sendo adotadas ações para eliminação dos focos da peste suína clássica (PSC), pelo Grupo Especial de Atenção às Enfermidades Emergenciais ou Exóticas (Gease). Foram confirmados 16 focos da doença em sete municípios do estado.

Os casos confirmados ocorreram nos municípios de Lagoa do Piauí (02 focos), Domingos Mourão (01 foco), Murici dos Portelas (04 focos), Brasileira (02 focos), São João do Arraial (01 foco), Milton Brandão (01 foco) e Cabeceiras do Piauí (05 focos).

As ações para eliminação dos focos seguem a rigor os procedimentos presentes na legislação federal, a instrução normativa nº 27, de 20 de abril de 2004, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). As medidas incluem desde o abate dos animais à sanitização de veículos, pessoas e objetos que tiveram contato com os porcos.

Ao todo, cerca de 3.520 animais foram sacrificados, todos em criações extensivas, com o objetivo de realizar o controle da doença. Os animais estão sendo devidamente avaliados e taxados para posterior indenização aos proprietários.

“A Adapi vem atuando de forma eficiente no combate aos focos de peste suína clássica no Piauí. Todas as medidas preconizadas pelas legislação federal e estadual de defesa sanitária animal foram adotadas pelo Governo do Estado. Diante da eliminação desses focos a agência continua vigilante por todo o estado atenta a novos focos da doença”, explica Idílio Moura, gerente de Defesa Sanitária Animal da Adapi.

Os trabalhos de atendimento, as notificações e a vigilância continuam sendo realizados em todo o Estado por meio das operações determinadas pelo Centro de Operações em Emergência Zoosanitária para Peste Suína Clássica (Coezoo) do Piauí, cujo telefone para atendimento a notificações é o (86) 98825-5250.

É importante lembrar que a peste suína não é uma zoonose, ou seja, não afeta o ser humano, por isso não é preciso pânico. “Pode-se ingerir carne suína normalmente desde que esta tenha passado por um serviço de inspeção oficial. Além disso, o Governo do Estado proibiu eventos agropecuários com suínos. A medida se dá para evitar aglomeração e que um animal contaminado possa passar o vírus para outros por contato direto. Feiras com caprinos, bovinos e outros estão permitidas”, finaliza Moura.



Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site.